Seu navegador está desatualizado!

Atualize o seu navegador para uma melhor visualização do site. Atualizar agora!

X

Hotel em NY bate recorde de venda: US$ 1,2 milhão por quarto

Um famoso hotel no sudoeste de Manhattan, Nova York, chamou a atenção por bater um recorde de venda pós-crise econômica.

O Standard Hotel foi vendido por 400 milhões de dólares para um grupo do investidor Steven Kantor.

Segundo o Wall Street Journal, seria o maior preço pós-crise econômica de 2008 e o quarto maior de todos os tempos no país.

Para se ter uma ideia do preço astronômico: cada quarto saiu, portanto, por 1,2 milhão de dólares.

O preço médio dos quartos nas transações de hotéis na cidade está bem abaixo disso: 270 mil dólares.

E os atuais proprietários só pagaram 240 milhões por ele, há dez anos.

A valorização se explica: o Standard Hotel fica em posição privilegiada, literalmente em cima do High Line, a antiga linha férrea da cidade que virou a atração turística cult e alternativa da cidade.

Antes, essa região da cidade estava decadente e desvalorizada. O ex-prefeito Michael Bloomberg quem investiu no projeto do High Line Park.

O hotel atrai muitos jovens e turistas descolados dispostos a desembolsar um bom dinheiro e apreciar a paisagem do High Line, do Rio Hudson e de toda Manhattan.

A taxa média de uma diária na cidade é de 258,57 dólares (2013), 3% mais que em 2012.

Nessa faixa de preço, o Standard Hotel demoraria, só contando com a diária, 4640 dias para recuperar o preço pago por um quarto. Ou seja, mais de 12 anos.

Já se levarmos em conta o preço da diária mais barata do próprio hotel, 405 dólares, ainda assim ele demoraria 2962 dias, mais de oito anos.

Boom do setor

O preço dos hotéis e das diárias estão crescendo com mais turistas, mais demanda de investidores e um aquecimento do mercado imobiliário.

Em 2013, o valor de transações de hotéis na região chegou a 22 bilhões de dólares, 35% a mais que em 2012.

Além de Nova York, cidades como São Francisco e Miami veem o boom dos hotéis pós-crise.

Geralmente, após uma crise econômica, os hotéis tendem a se recuperar mais rápido porque podem reajustar a taxa diária cobrada sem problemas.

Já imobiliárias de escritórios, por exemplo, estão presas a contratos de longo prazo e não podem mudar a qualquer momento seus valores para capitalizar sobre uma recuperação.

Investidores do Oriente Médio e Ásia são as grandes figuras do setor. Eles devem gastar 3 bilhões de dólares em transações de hotéis nova-iorquinos em 2014, 36% a mais que em 2013.

Esse ano, um fundo de Abu Dhabi pagou 300 milhões de dólares por um dos maiores hotéis de Atlanta, o Marriott Marquis.

Já um bilionário de Singapura adquiriu o Novotel da Times Square por 274 milhões.

Dicas e notícias
Veja mais
  • Vou comprar um imóvel, e aí? Como proceder?

    Essa é um pergunta normal e corriqueira a quem deseja adquirir um imóvel, seja para real...

    TEMPO DE LEITURA: 2 MINUTOS
  • Perfil Imóveis participa do evento Mercado Chic alusivo ao Outubro Rosa

    No dia 6 de outubro a Perfil Imóveis esteve presente no Complexo Fabbrica, em Caxias do S...

    TEMPO DE LEITURA: 1 MINUTO
  • Perfil Imóveis é patrocinadora da festa de 5 anos da Nostalgia Premium

    Os sons dos anos 70, 80, e 90 embalaram a noite de sábado, 15 de setembro de 2018, no Pep...

    TEMPO DE LEITURA: 1 MINUTO
Infos por Whats